AFIRMAÇÃO SOCIAL

Na última postagem , procuramos de forma simplificadíssima, estabelecer a correlação em termos genéricos a evolução da cultura e a evolução do conceito da prática sexual humana.
Aqui, vamos estabelecer a causas das necessidades sentidas pelas minorias cujas opções sexuais são diferenciadas, pelo seu livre exercício e luta por novas conquistas sociais.
A homossexualidade sempre foi tema proibido, censurado,motivo da chacota,ridicularização e depreciação do seu livre exercício e liberdade por parte do establishment , o poder organizado, a sociedade em geral, garroteando-o sempre com formas de controle social severas e debitando aos valores da imoralidade, o seu exercício, negando-lhes direitos .
É contra isto que reagem seus ativistas e praticantes, cuja opção social diversa da maioria, pretende à exaustão, testar a coerência entre este alardeado desenvolvimento e novos conceitos culturais de uma natural evolução social humana ,com a quebra de antigos paradigmas e seus valores , hábitos e costumes tradicionais e ,sua consistência, quanto a extensão destas conquistas aos seus interesses.
E então, circunscreve-se aqui,  e mais uma vez na historia da humanidade, as eternas lutas das minorias pelas suas conquistas sociais que, por não estarem integradas a um determinado sistema legal da ordem jurídica que reconhece para todos o livre exercício das suas cidadanias,limita-lhes a liberdade.

E seria a democracia o exercício politico que só contemplaria aos anseios das maiorias ou  de todos os seus cidadãos?
Neste momento, na maioria dos países do mundo é este o nó e incompreensões  que se identificam, porque em seu bojo,no interior de toda estas lutas de afirmação das minorias diferenciadas,um outro grande e nem sempre explicito conceito está em jogo : O do poder.
Este poder, atualmente aninhado,acomodado e sob controle das maiorias, não querem ceder em nenhuma hipótese a sua divisão aos expandir liberdade de aceitação a nenhum outro grupamento minoritário.

A escravidão dos negros foi consequência do poder majoritário que as elites politicas e econômicas detinham e a exerciam sobre as minorias desprotegidas  e durou seculos para a libertação dos negros no mundo todo.
A pauta das conquistas pelos quais as minorias  homossexuais lutam estão muito além do direito de exercerem com outros do mesmo gênero sua atividade sexual,pois isto sempre houve desde a historia antiga da humanidade em Roma na Grécia, enfim em todos os outros impérios.
O que eles anseiam é que seja dividida esta fatia do poder jurídico, politico e social concentrado nas mãos  das maiorias heterossexuais.

O casamento civil entre homossexuais é exemplo desta divisão que interfere diretamente na estrutura familiar tradicional e com todas as suas consequências complementares do atual poder organizado.
Se são distribuídas cotas para as minorias alijadas,hoje do processo tradicional de obtenção de grau de escolaridade que lhes facilite a ascensão social , porque negar aos homossexuais as mesmas  franquias em todas as outras áreas e propiciadoras de suas integrais inserções no poder organizado tradicional? Perguntam-se e exigem respostas.
É aí que a porca torce o rabo, pois, estamos na eterna luta deste cabo-de-guerra social de quem vai ceder, mais ou menos o poder já conquistado e, para quem.


ONDE MORA O PERIGO!



Temos tratado destas realidades sobre as opções sexuais diferenciadas,o processo de afirmação das minorias sociais e o conjunto da sociedade consumista em que vivemos ,tentando estabelecer razões sociológicos de causas e efeitos e, sempre colocando o amor romântico, como a grande conquista que qualquer ser humano possa pretender, sejam quais forem ,os caminhos,alternativas e destinos que queiram alcançar.
O regime politico democrático sustenta-se no primado das maiorias e consolida-se quando garante às minorias o pleno direito da manifestação do exercício pleno, também, das suas cidadanias.
O regime econômico capitalista,envolve as democracias em apelos continuados de consumo pois, os mercado dos bens precisam ser escoados,a produção sempre crescente estabelece necessidades  e entre o essencial e o supérfluo,a linha divisória começa a ficar cada vez mais tênue e e confusa.
Ou seja, as democracias capitalistas, criam portanto,justas e reais expectativas e sempre apoiadas nos reforços massificados das  mídias,quanto aos preceitos de que, felicidade é consumir.
O animo e a motivação de todos nós, é sempre tentar diversificar ao máximo,estas procuras pela felicidade que, nos acenam.
E  isto, extrapola os simples consumos dos bens materiais e contagia , por consequência também , sentimentos outros de natureza sexual expandida e incorporada nestas novas realidades. Daí termos classificados o sexo, como igualmente, um produto de consumo.
Temos sustentado que a imposição de consumo cada vez mais diversificados dos bens materiais das sociedades politicamente democráticas e, economicamente capitalistas ,contagiou diretamente, a busca da felicidade prometida pela adoção de opções nos relacionamentos humanos e afetivos, igualmente amplos e ecléticos.
Buscam nas diversidades das possibilidades sexuais possíveis,serem contemplados por dias mais ricos e acumulados de bens emocionais que lhes deem o equilíbrio existencial necessário.

É um caminho que nenhuma sociedade contemporânea, mesmo aquelas mais conservadoras e apoiadas na ética  e moral de fundamentalismos e preceitos religiosos, poderá mais deter.
Os  possíveis pontos de rupturas que podem provocar instabilidades sociais junto as maiorias,no entanto, continuarão a  ser os desvios comportamentais acintosos ,porém muito comuns em qualquer processo nas quais as minorias se utilizam para chamar atenção.   Estabelecem padrões incomuns e revolucionários de conduta social, despertando impactos e constrangimentos, consequências de tantas e planejadas desobediências civis e contestações ao poder organizado,cujos interesses e corpo jurídico doutrinário, não lhes atendem e os oprimem.
Se nos lembrarmos do inicio da emancipação feminina veremos logo, o imenso barrigão da grávida mais irrequieta daquela época e sua coragem em colocar maiô de duas peças em adiantado estágio de gestação,  pousar nua e dizer o que nenhuma mulher ousava, a emblemática: Leila Diniz.


Escândalo?Não!
Tinha o mesmo propósito que o beijo na boca em público entre homossexuais, tenta hoje despertar,ou seja, a necessidade de afirmação por uma identidade cultural de uma opção ainda necessitando de maior maturidade social que, virá quando a sociedade absorver integralmente, estes direitos comuns.
O excesso, é  o perigo que eu vejo.

FELIZ,FELIZ,FELIZ NATAL ,MESMO!!!



A TODOS VOCÊS AMIGOS DE TANTOS ANOS OU MAIS RECENTES:



FELIZ NATAL.

QUE JESUS CRISTO OS ILUMINE!!!

                                 

TUDO SOBRE AS NOVAS OPÇÕES DE GÊNEROS




O termo orientação sexual é relativamente conhecido, e se refere a como nos sentimos em relação à afetividade e sexualidade. Por não se tratar exclusivamente de sexo, o termo mais apropriado talvez seja orientação afetivo-sexual, ou romântica-sexual. Falamos de orientação, e não de opção, porque não é algo que possamos mudar de acordo com nosso desejo.
Existem quatro tipos de orientação afetivo-sexual: os bissexuais se sentem atraídos pelos dois gêneros; os heterossexuais, pelo gênero oposto; e os homossexuais, pelo mesmo gênero. Os assexuados representam um caso singular, uma vez que podem apresentar uma orientação romântica, porém não sexual, direcionada a algum dos gêneros (ou a ambos), ou não apresentarem orientação romântica e nem sexual.
A identidade de gênero, por sua vez, costuma ser menos compreendida. Ao passo que a orientação sexual se refere a outros, a quem nos relacionamos, a identidade de gênero faz referência a como nos reconhecemos dentro dos padrões de gênero estabelecidos socialmente.
Existem dois sexos, mulher e homem, e dois gêneros, feminino e masculino. Embora a maioria das mulheres se reconheça no gênero feminino e a maioria dos homens no masculino, isto nem sempre acontece. Falamos, então, de pessoas cujo sexo biológico discorda do gênero psíquico: são os travestis e transexuais, ou transgêneros.
Existe muita confusão a respeito das relações entre orientação sexual e identidade de gênero, e a verdade é que não existe relação – são coisas completamente independentes. Uma pessoa de sexo biológico feminino pode se enquadrar no gênero masculino e se sentir atraído exclusivamente por homens. Ele seria, então, um homem transexual gay. A tabela abaixo sumariza as possibilidades existentes de orientação sexual e identidade de gênero:
Sexo biológicoGênero psíquicoOrientação sexualComo reconhecemos
MulherFemininoBissexualMulher bissexual
MulherFemininoHeterossexualMulher heterossexual
MulherFemininoHomossexualMulher homossexual
MulherFemininoAssexualMulher assexual
MulherMasculinoBissexualHomem bissexual
MulherMasculinoHeterossexualHomem heterossexual
MulherMasculinoHomossexualHomem homossexual
MulherMasculinoAssexualHomem assexual
HomemMasculinoBissexualHomem bissexual
HomemMasculinoHeterossexualHomem heterossexual
HomemMasculinoHomossexualHomem homossexual
HomemMasculinoAssexualHomem assexual
HomemFemininoBissexualMulher bissexual
HomemFemininoHeterossexualMulher heterossexual
HomemFemininoHomossexualMulher homossexual
HomemFemininoAssexualMulher assexual

Mas as identidades de gênero são muito mais complexas do que esta tabela sugere, uma vez que o que define determinado gênero é mutável e, cada vez mais, flexível.
Uma das concepções errôneas mais freqüentes envolvendo gênero é a de que homens com traços ou gestos considerados femininos são necessariamente gays, ou que mulheres que vestem roupas largas são, com certeza, lésbicas. Esta idéia é geralmente acompanhada daquela segundo a qual homens afeminados queriam ser mulheres, e mulheres masculinizadas queriam ser homens.
O modo de andar, de gesticular, de falar, e a preferência por determinados tipos de roupas ou de atividades não têm, necessariamente, nada a ver nem com orientação sexual, nem com identidade de gênero. Se fôssemos acrescentar cada uma destas características na tabela, a única novidade que teríamos seria o acréscimo da característica escolhida na denominação que já existe. Em outras palavras, nada impede uma pessoa ser uma mulher biológica homossexual que se enquadra perfeitamente no estereótipo feminino.


Enfim, a confusão a respeito de papéis de gênero, orientação sexual e identidade de gênero se deve ao padrão binário,do sim ou não,disto ou daquilo,é isso ou aquilo que temos a mania de querer aplicar a tudo. Mas as possibilidades de expressão humanas não cabem em um sistema como este,ou raciocínio simplista,desta natureza. 

ESTRANHA MANIFESTAÇÃO DE AMOR!!!






06/04/2015 16:24:43 - Atualizada às 06/04/2015 16:33:35
Homem ejacula no café de colega de trabalho por 'estar apaixonado'

AMERICANO CONFESSOU TER EJACULADO PELO MENOS QUATRO VEZES E PENSOU QUE ESTA SERIA UMA MANEIRA DE FAZER A MULHER NOTÁ-LO

O DIA
EUA - Um homem do estado de Minnesota, nos Estados Unidos, admitiu ter ejaculado no café e na mesa de uma colega de trabalho porque "estava apaixonado" por ela. Após ser flagrado pela mulher com as mãos nos órgãos genitais, Robert John Lind admitiu o ato.
Em depoimento à polícia, a mulher se queixou que "já tinha notado um sabor e cheiro estranhos no café e na mesa". O homem confessou ter ejaculado pelo menos quatro vezes no café e na mesa e pensou que esta seria uma maneira de fazer a mulher notá-lo.




Após ser flagrado com as mãos nos órgão genitais, Robert John Lind confessou que ejaculou no café
Foto:  Divulgação / CBS Local
Fonte jornal O Dia do Rio de Janeiro


E AGORA PERGUNTAMOS: QUAL NA OPINIÃO DE VOCÊS????????????????
AO RESPONDEREM LEMBREM-SE QUE PODERIAM SER AS PRÓXIMAS A SEREM ALVO DAS "EJACULATÓRIAS" DEMOSTRAÇÕES DE AMOR ETERNO INCONDICIONAL DESTE VERDADEIRO E AUTÊNTICO PRÍNCIPE ENCANTADO PÓS-MODERNO? 

JULGAR?




              



O que sempre escutamos em algumas oportunidades sobre estas costumeiras discussões envolvendo a opção de gêneros é que, não devemos julgar aquilo que sexualmente,alguém escolhe como sendo o mais adequado para ele.  
Realmente o julgamento em si só,compete àquele que opta entre esta ou aquela possibilidade e desde que, como todos os outros seres humanos iguais a ele, se comporte dentro dos limites estabelecidos pela moral social vigente.
Afinal, somos uma coletividade que precisa de bons exemplos,pois os maus inundam diariamente as nossas casas como a atuação equivocada da mídia,da violência urbana,dos equívocos entre estes e aqueles outros envolvidos em ações antissociais, as mais diversas.  Se algumas das nossas atitudes, independentes da suas origem,venham a engrossar esta enxurrada de condutas marginais da sociedade, então ela tem que ser julgada,sim!
Andei escrevendo por aqui, que aquilo que mais me preocupa nesta questão das opções de gêneros seriam os excessos indesejáveis, de minorias que só prejudicariam e fariam com que joio e trigo não fossem diferenciados.
Todos nós sabemos que, em qualquer movimento social de mudanças e transformações agudas como é esta das opções de gêneros, tendem a agregar em seu seio, extremistas que desejam deliberadamente, ofender a sociedade com atitudes impróprias,violentas ou premeditadamente praticadas para causar revolta em terceiros.
Isto é condenável!
Estas atitudes dissonantes da maioria daqueles que tão somente optaram por esta ou aquela forma de serem mais felizes, em geral são praticadas por aqueles que não têm segurança da sua nova identidade cultural.
São indivíduos que precisam agredir a sociedade com atitudes grosseiras ou dispensáveis para chamarem a atenção sobre eles, sobre aquilo que eles mesmos ainda não estão conscientes de ter sido a melhor escolha.
Quem faz e segue qualquer padrão de conduta na vida por absoluta certeza de que, aquilo é o melhor, jamais irá necessitar e sob hipótese nenhuma, querer despertar a violência em outros, à partir das suas próprias violências e tentativas de afirmar-se em suas inseguranças.
Neste caso, cabe sim o julgamento da sociedade , inclusive para preservar o lado correto dos movimentos nos quais eles se incluem.

ACORDA!!!

( Narcolepsia é um distúrbio do sono que causa sonolência excessiva.)

- Vou te pedir um favor- investe a mulher pra cima daquele cara já com uma fisionomia de apavorado.
- Fala, coração- responde fingindo tranquilidade, mas sabendo que la vem bomba!
- Pra começar, tenho nome, odeio essa coisa de " docinho, amor, benzinho".
- Não sabia, desculpe.Não faço mais.
- Agora, já sabe.
- Não vou dar mais apelidos carinhosos mas, depois, não reclama.
- Se eu quiser reclamar, reclamo, sim.
- Credo, que bicho te mordeu? Acordou do lado errado da cama?
- Acordei com dois pés esquerdos e não enche o saco.
- Qual é? Tá de TPM?
- Tô, mas é Tensão Pós Matrimônio.
- Mas nós nem somos casados! Somos como você sempre quis, eternamente juntos e enamorados.
- Exato. Mas parece que estamos casados há séculos!
- E... lá vamos nós. Despeja, vai.- Você quer discutir relação novamente.
- Tá vendo? É disso que eu estou falando.Você só quer fazer o que VOCÊ QUER!
- Filha de Deus, me dá uma pista, não tô entendendo nada.
- Não conversamos mais, não namoramos mais, agora tudo é menos.
- Mas não é assim mesmo? Com a relação mais estável, a gente relaxa e acalma.
- Acalma, nada, faz muito tempo no piloto automátic
o.
- Tá bom, o que você quer?
- Não se trata do que eu quero, não quero nada.
- Peraí, fiquei perdido.
- Novidade.
- O que você quer dizer com isso? Que eu sou sem noção? É isso?
- Tô dizendo que você precisa de um GPS pra te mostrar onde você está!
- Tô aqui, em pé, na cozinha, com você, porra!
- Tá vendo? Você é visceral, irritadiço e explode por qualquer coisa.
- Para com os rodeios, diz logo qual é. E quem tá irritada é você.
- É você!
- Eu o quê?
- Lembra o que você fez, ontem à noite?
- O que eu fiz?
- Não lembra?
- Pelamordedeus. Eu lembro que cheguei antes de você, tomei banho, liguei a televisão e enquanto te esperava, vi um jogo qualquer e você chegou.
- Depois, tô falando de quando eu já estava em casa, não me interessa o que você fez antes, mas depois, DEPOIS!
- Não grita que eu não sou surdo.
- Mas só ouve o que quer.
- Olha , se você quer me acusar de alguma coisa, fala logo. Não vou ficar tentando acertar a loteria.
- Enquanto EU preparava o jantar, EU dava um jeito na casa, EU servia a mesa, EU lavava a louça, você dormia no sofá!
- Tava cansado. É crime?
- Cansado do que?
- Cacete, trabalhei o dia inteiro.
- E eu? Ah, é, tinha esquecido que seu trabalho é mais importante e cansativo do que o meu.
- Isso tudo é porque cochilei?
- Não, isso você faz todo santo dia e não cochilou, dormiu profundamente!
- Desisto. Ou você desembucha, ou paramos por aqui.
- Paramos o que? A conversa ou a relação? - fala ameaçadora a "dona do pedaço".
- Tudo tem que ter dois lados, ou isso ou aquilo? Não dá pra ser mais simples?
 Facilita aí, vai. -Implora o companheiro.
- Facilito, sim. Lembra que eu disse que ia te pedir um favor?
- Quando?
- Hoje, agora. Antes de dizer bom dia.
- Você não deu bom dia.
- Pois é, meu bom dia foi "vou te pedir um favor". Na realidade, não vou te pedir nada, vou é dar uma ordem.
- Como disse? Você vai me dar uma o que?
- ORDEM!  Tem mais, ou você acata ou roda.
- Tô com a sensação que vou rodar, porque nem minha mãe me dá ordem. Mas, diga lá, só pra conferir.
- Digo, sim, e preste bastante atenção: quando estiver muito cansado, o que vem acontecendo com frequência, não insinue que vai fazer sexo comigo e não comece nada! 
- Tem a ver com transar comigo?
- Tem a ver com transar e você pegar no sono.
- Quer dizer que não posso dormir depois de transar?
- Não pode dormir é DURANTE e EM CIMA de mim!
- Tá bom, eu fico embaixo, assim você não reclama.
- Tem toda razão- responde a mulher já com o coração na boca.
- Não tenho? -Tenta ser engraçadinho o dorminhoco.
- Tem, meu caro. A porta da rua é a serventia da casa. RODA! Vai dormir no meio-fio e vou torcer para que chova todos os dias, isso lhe manterá bem acordado seu sonegador,borracha mole!