OS CAMINHOS DA EVOLUÇÃO HUMANA.


Nossas necessidades instintivas são pela ordem: De sobrevivência e perpetuação da espécie.
Na sobrevivência estão incluídos todos os fatores agregados à alimentação,abrigo -proteção contra natureza-e integração social para nos validar o fato de sermos, essencialmente animais superiores, gregários
Na perpetuação da espécie , os seres humanos são compelidos por pulsões básicas a se reproduzirem , única forma de alcançarmos de forma exitosa, a continuidade dos humanos sobre a face da terra.
Após estes instintos básicos, com os quais nascemos, agregamos uma forma admirável e que nos fez fcar absolutamente distintos de qualquer outra espécie viva deste planeta que é a nossa capacidade de fazer cultura.
Cultura, deve ser entendida como a capacidade humana de transformar o meio ambiente para sua melhor adaptação e mais tranquila sobrevivência.
Tudo o que você olhar ao seu redor é produto da cultura humana, foi e continua sendo produtos de transformações continuadas.
O pássaro João de Barro dirão alguns, também faz sua casa.Inegável, mas com uma diferença , a de que a faz  daquela forma,nos mesmos lugares, formato e material, desde que o primeiro daqueles pássaros, surgiu por aqui.Assim também,os formigueiros, as colmeias e outros.
A monumentalidade da cultura humana se expressa exatamente, neste aperfeiçoamento constante de tudo e todas as coisas criadas ou transformadas da natureza,pois ,se quiserem só um exemplo, constatem como era o primeiro avião do nosso Santos Dumont e comparem com os ônibus espacias e foguetes interplanetários.
A cultura humana evolui e se adapta a cada dia a para melhoria das condições externas das quais somos dependentes em muitas situações, e há vários séculos atrás impotentes diante  muitas delas,e agora, convivemos com relativo domínio sobre este meio.
Este consumo constante de novas formas adaptativas que preenchem a materialidade da vida humana, também, refletiu na conquista de novos hábitos e costumes no atendimento das nossas necessidades instintivas de sobrevivência e perpetuação da especie.
É nítida a diferença de como os hominídeas, primeiros seres humanos a conviveram na Terra, comiam e o que comiam,comparadas com as mais absolutas e refinadas , em formas e conteúdos, daquilo que hoje, degustamos.
Nossa sobrevivência ficou muito mais fácil, longeva, sofisticada e cercada de novos elementos de consumo, que tonam hoje os hábitos alimentares em verdadeiros prazeres dos deuses.
E aquela obrigatoriedade em atender aos instintos sexuais, apenas como forma de perpetuar a espécie, perdeu ,primeiro esta obrigatoriedade e fatalismo, depois, por esta mesma  razão,transformou-se em múltiplas, incontáveis e sofisticadas possibilidades de como os seres humanos, poderiam alcançar prazeres orgástico, independente de, exclusivamente, procriar.
Então , nasce o sexo como produto de consumo.

6 comentários:

  1. E, assim, ao aperfeiçoar-se como produto de consumo, perdeu sua melhor qualidade, que é a simplicidade do amor!
    Abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  2. MARIA TERESA VALENTE,

    É ISSO AÍ!!!

    UM ABRAÇÃO CARIOCA.

    ResponderExcluir
  3. Bom... ficou tudo meio esquisito...
    Acho que tudo o que é demais; perde-se o controle fácil, fácil;
    E criam-se novos problemas, angústias, etc, etc os consultórios
    psiquiátricos que o digam...
    Acho que esse negócio de dizer: "lavou tá novo" como muitos dizem por aí k; vai se criando um sentimento de um grande vazio.
    Gera-se um conflito de emoções enorme.
    Já me deparei com muitas pessoas consumistas de tudo...liberais; que hoje estão ainda depois de muitos anos tentando se encontrarem em alguma coisa... não dá para generalizar mas o resultado deste consumo a maioria das vezes se paga e é o tempo que diz.
    As impressões ficam k.

    Então: bora lá! mexer nos teus cactos...
    Para alguns banalidade... mas é uma das tantas melhores formas de se manter; com aquela paz no coração... só quem mexe com plantas sabe o
    que eu estou a dizer... o meu sítio é um lugar sagrado; quando boto o pé por lá... os problemas por mais cabeludos... quando começo a mexer na terra, ficam todos do lado de fora k.
    Mas quando eu não tinha um pedaço de chão... me contentava com os vasinhos do meu apê k; que conservo até hoje...
    Felicidade é um estado de espírito; e todo e qualquer consumo em demasia não traz hábitos mais salutares.
    Talvez o mundo precise se endagar mais de O porque e Para Que...
    Aplicar a regra dos Porques k. Que nem criança k.
    Abraços.
    janicce.

    ResponderExcluir
  4. Janicce,

    Beleza!!!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  5. Olá Paulo
    A necessidade de sobrevivencia continua ao meu ver
    tão forte quanto no tempos primórdios, já a perpetuação
    da espécie é algo que tem me feito analisar bem, você
    já percebeu que cada família está cada vez menor.
    Abraço.

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. SIMONE FELIC,

    assino embaixo!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir